Leanked . Consultoria em Operações

Importância do Registo de Produção no SI

registo de produçãoO registo de produção no Sistema de Informação (SI) deve ser realizado de forma coerente e recorrente com o objetivo de aproveitar o potencial e as Vantagens do Sistema de Informação.

Quando visitamos PME deparamo-nos muitas vezes com SI mal utilizados ou mal adaptados às realidades das organizações. Na maioria deste tipo de empresas a alimentação do SI é muito manual, isto é, são os operadores que inserirem no sistema a quantidade de peças produzidas, a quantidade e peças não conformes e, em casos extremos, a quantidade de matéria-prima que utilizaram.

Os dados inseridos têm de ser reais e exatos. O grande problema está muitas vezes na pouca importância dada a esta tarefa. Tal acontece devido ao desconhecimento dos operadores e responsáveis quanto às consequências das falhas de registos de produção.

O que é o registo de produção?

O registo realizado no terminal da área produtiva de quantidade de peças conformes, peças não conformes, consumos de matérias-primas e de componentes.

Quem deve realizar o registo?

O registo deve ser realizado pelos operadores que realizam as ordens de produção visto que efetuam o autocontrolo da conformidade das peças assim como detêm o conhecimento da quantidade de peças realizadas e da matéria-prima e/ou componentes incluídos.

Qual a finalidade de utilização dos dados recolhidos?

  • Alertas de encomenda de matéria-prima;
  • Análise da produtividade;
  • Controlo efetivo do material e respetiva quantidade e localização;
  • Análise de tempos de ocupação por pessoa e equipamentos;
  • Análise de custos de fabrico;
  • Tomada de decisões;
  • Análise de consumos de materiais;
  • Análise de stocks;
  • Etc.

Quais as possíveis consequências do registo de produção incorreto?

  • Paragem da produção por falta de matéria-prima;
  • Encomenda de matéria-prima quando sem ser necessário;
  • Incapacidade de responder atempadamente a uma encomenda de um cliente;
  • Envio de mais produtos para o cliente do que os encomendados sem serem faturadas;
  • Material produzido em excesso esquecido/perdido em armazém;
  • Falta de dados para:
    • Controlo de qualidade;
    • Estudo de tempos e métodos;
    • Análise de custo de produtos.

Patrícia Ramos
Consultora Leanked